Análise da microbiota intestinal

Diversos produtos usados na veterinária agem sobre os animais através da modulação da microbiota. O conjunto de bactérias intestinais tem sido cada vez mais estudado com o objetivo de se compreender o mecanismo de ação de prebióticos, probióticos, ácidos orgânicos, nutrientes, etc. Uma das maneiras mais abrangentes de se analisar a microbiota intestinal é através da tecnologia de sequenciamento massivo de nova geração. Com esse método, é possível identificar e quantificar praticamente todos as bactérias em uma amostra de conteúdo fecal, de qualquer espécie animal. Como a tecnologia é baseada em sequenciamento, não é necessário cultivar os micro-organismos, e assim é possível identificar e quantificar bactérias que não crescem comumente em condições de laboratório.

A Imunova, em parceria com a WEMSeq, utiliza o sequenciamento de nova geração para estudar amostras de microbioma. Um exemplo do potencial desse método está apresentado no artigo abaixo, em que foi possível verificar como um prebiótico age, ao alterar a microbiota cecal de frangos. Diferentes variações do mesmo prebiótico têm impactos diversos sobre as populações bacterianas intestinais das aves, veja na tabela abaixo.

https://www.frontiersin.org/files/Articles/287171/fgene-08-00153-HTML/image_m/fgene-08-00153-t001.jpg

Tabela – Aves tratadas com prebióticos (Mos = mananoligossacarídeos ou Nuc = nucleotídeos) têm constituições bacterianas intestinais muito diferentes do grupo controle (Neg), seja em 14 ou 35 dias de vida.

Fonte: Mesa et al., 2017. Cecal microbiota in broilers fed with prebiotics. Frontiers in Genetics.

Deixe uma resposta